Homem é executado a tiros na fronteira, segundo caso em 12 horas

A manhã desta quarta-feira (19) foi marcada pela macabra descoberta de um corpo sem vida em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha a Ponta Porã (MS). A vítima, ainda não identificada, foi encontrada em uma rua de terra ao lado de um lixão, na fração Parque do Sul, no Jardim Aurora. Este é o segundo homicídio registrado na linha internacional entre as duas cidades nas últimas 10 horas, evidenciando a crescente onda de violência na região.

Segundo apurado pelas autoridades paraguaias, a vítima, um homem de identidade ainda desconhecida, foi morta a tiros. O médico forense Marcos Pieto confirmou a presença de três disparos: dois na cabeça e um no braço esquerdo. A cena do crime foi preservada para investigação pela Polícia Nacional do Paraguai, que busca identificar a vítima e elucidar o crime.

Nas últimas 24 horas, a região fronteiriça entre Brasil e Paraguai foi palco de dois assassinatos brutais. Na noite de ontem (18), Marcos Javier Gonzales, de 32 anos, com histórico de roubos e furtos, foi executado a tiros de fuzis calibres 7,62 e 5,56 na favelinha da Vila Ferroviária, em Ponta Porã.

Testemunhas relataram que os autores do crime estavam em uma Toyota Hilux vermelha com placa brasileira e contaram com o apoio de um Gol prata, também com placa do Brasil. A Polícia Militar do Mato Grosso do Sul investiga o caso e busca identificar os responsáveis pelo assassinato.

A série de crimes brutais nas cidades fronteiriças gera grande apreensão entre os moradores, que cobram medidas eficazes das autoridades brasileiras e paraguaias para combater a criminalidade na região. A intensificação do patrulhamento ostensivo, a investigação rigorosa dos crimes e a troca de informações entre as polícias dos dois países são medidas essenciais para garantir a segurança da população.

A violência que assola a fronteira entre Brasil e Paraguai exige ações conjuntas e permanentes das autoridades competentes. É fundamental fortalecer a cooperação entre as polícias dos dois países, investir em inteligência policial e promover ações preventivas que combatam a criminalidade e garantam a segurança da população local.