Confederação de Municípios aponta R$ 11,4 bilhões em prejuízos no RS

O prejuízo com as chuvas no Rio Grande do Sul está em R$ 11,4 bilhões, segundo boletim divulgado na sexta-feira (7/6) pela CNM (Confederação Nacional de Municípios).

Desse total, R$ 2,5 bilhões são no setor público, R$ 4,2 bilhões no privado e R$ 4,6 bilhões no setor habitacional, segundo reportagem da Metrópoles.

Há mais de 109,7 mil casas danificadas ou destruídas. São 476 municípios atingidos pela tragédia ambiental, segundo a Defesa Civil estadual.

A entidade reforça que os dados são parciais, informados pelos gestores municipais, e estão sendo atualizados à medida que mais municípios preenchem as informações no sistema federal. Por isso, os valores sofrem constantes alterações para mais ou menos, à medida que as verificações em campo se intensificam.

Segundo o governo gaúcho, 172 pessoas morreram em decorrência das enchentes e há 41 desaparecidos, além de 806 feridos.

Impacto nas habitações

Danificadas: 100,7 mil;

Destruídas: 9,3 mil;

Total de unidades habitacionais atingidas: 110 mil;

Prejuízos na habitação: R$ 4,6 bilhões.

Principais setores públicos afetados

Danos materiais (instalações públicas como escolas, hospitais, prefeituras, prédios de serviços públicos, instalações de usos comunitários): R$ 431,9 milhões em prejuízos;

Obras de infraestrutura (pontes, calçamento, asfaltamento de ruas e avenidas, viadutos, sistemas de drenagens urbanas): R$ 1,7 bilhão em prejuízos;

Sistema de transportes: R$ 136,3  milhões em prejuízos;

Assistência médica emergencial: R$ 14,7 milhões em prejuízos;

Sistema de esgotamento sanitário: R$ 21,6 milhões em prejuízos;

Limpeza urbana e remoção de escombros (recolhimento e destinação): R$ 39,4 milhões em prejuízos;

Geração e distribuição de energia elétrica: R$ 6,3 milhões em prejuízos;

Sistema de ensino: R$ 84,3 milhões em prejuízos;

Abastecimento de água: R$ 14,8 milhões em prejuízos;

Sistema de controle de pragas e vetores (desinfestação e desinfecção): R$ 1,8 milhão em prejuízos;

Distribuição de combustíveis: R$ 1,7 milhão em prejuízos;

Segurança pública: R$ 2,3 milhões em prejuízos;

Telecomunicações: R$ 1,1 milhão em prejuízos.

Principais setores privados afetados

Agricultura: R$ 3,4 bilhões em prejuízos;

Pecuária: R$ 293,5 milhões em prejuízos;

Indústria: R$ 267,8 milhões em prejuízos;

Comércios locais: R$ 131,8 milhões em prejuízos;

Demais serviços: R$ 88,4 milhões em prejuízos.