Incêndio no Pantanal, nova equipe de especialistas e helicóptero reforçam combate

Enquanto a nova equipe não chega, um helicóptero sobrevoa a região desde as 6h da manhã com um especialista a bordo para avaliar a dimensão do incêndio. Brigadistas do PrevFogo também estão no local auxiliando no combate às chamas.

A comandante do CBMMS, tenente-coronel Tatiane de Oliveira, explica que a guarnição inicial de combate a incêndios florestais enfrentou dificuldades de acesso ao local devido ao terreno acidentado e à vegetação densa, o que impossibilitou o combate direto às chamas.

A situação acende alerta entre os especialistas, pois a previsão para 2024 é de uma seca histórica que pode superar a de 1964 no estado. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) detectou 55 focos ativos de incêndios florestais em Mato Grosso do Sul até o dia 4 de junho de 2024. Na região do Pantanal, foram 40 focos nos três primeiros dias do mês.

Segundo a comandante, além da estiagem, a escassez hídrica também é um fator preocupante e terá grande impacto nos incêndios florestais em 2024, principalmente no bioma do Pantanal. “Isso já está refletindo. Nós combatemos grandes incêndios desde janeiro, fevereiro. Atualmente, estamos com duas frentes de combate e isso tende a evoluir para um cenário cada vez mais crítico”, alerta Tatiane.

Medidas para combater os incêndios:

  • Envio de nova equipe de especialistas em combate a incêndios florestais.
  • Uso de helicóptero para avaliação da área e combate às chamas.
  • Atuação de brigadistas do PrevFogo.
  • Monitoramento constante da região por meio de geomonitoramento.

Prevenção:

  • Evitar queimadas em áreas rurais e urbanas.
  • Denunciar focos de incêndio às autoridades.
  • Conscientizar a população sobre os riscos dos incêndios florestais.

Lembre-se: A preservação do meio ambiente é fundamental para a nossa qualidade de vida e para o futuro das próximas gerações.