‘Bombeira’ de MS, cachorra Laika ajudará em buscas no Rio Grande do Sul

Especialista em varredura de área, uma técnica que permite o cão percorrer trechos livremente até encontrar o objetivo, a bombeira Laika deve desembarcar no Rio Grande do Sul para auxiliar nos resgates e buscas.

A cadela “militar” do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul já participou em outras tragédias com pessoas desaparecidas no Brasil, como em Brumadinho, em Minas Gerais.

Assim, nesta semana de preparação, Laika esteve em Cianorte, no Paraná, realizando provas de certificação nacional de cães de busca e resgate pela LIGABOM (Conselho Nacional dos Comandantes de Corpos de Bombeiros Militares do Brasil). O grupo irá viajar na segunda-feira (13), com o sargento Thiago Kalunga, parceiro de trabalho da cachorra, e dois bombeiros.

“Laika é aprovada em todas as provas da LIGABOM e recertificada. [Ela] foi acionada pelo Comando de Operações do Rio Grande do Sul, que solicitou o envio da equipe especializada em Busca, Resgate e Salvamento com Cães”.

A equipe retorna do Paraná hoje para Campo Grande e sairá na manhã de segunda-feira para o RS, explicou o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Militar de MS, Fábio Pereira de Lima.

Porém, algumas cidades ainda enfrentam o alto volume de água. Portanto, Laika deve atuar em áreas determinadas pelas equipes. “Respeitando o SCI (Sistema de Comando de Incidentes) local ou Posto de Comando”, disse Kalunga.

Laika conseguiu encontrar as vítimas em menos de 10 minutos
Laika conseguiu encontrar as vítimas em menos de 10 minutos (CBMMS)

Quem é a bombeira Laika?

Laika é aprovada em outros circuitos nacionais para atuar em ocorrências e tragédias no Brasil e é conhecida como uma heroína de quatro patas. Em 2023, ela passou com mérito, se destacando e provando toda a sua competência no XXI Senabom (Seminário Nacional dos Bombeiros).

Neste evento, a bombeira Laika, da raça pastor holandês, participou da prova de ‘busca urbana’, que conta com duas etapas. Na primeira, os cães são avaliados quanto a sua obediência e destreza, onde o condutor mostra todo o adestramento realizado. Também é realizado um simulado onde duas vítimas estão escondidas em meio a escombros em uma área de aproximadamente mil metros quadrados e a cadela de ‘busca’ tem que localizar as pessoas em até 20 minutos. Laika conseguiu encontrar as vítimas em menos de 10 minutos.

“O Corpo de Bombeiros tem a atribuição legal de procurar pessoas perdidas ou desaparecidas. E quando você tem um cão que pode te auxiliar neste trabalho facilita este tipo de ocorrência”, disse o treinador e bombeiro militar Thiago Kalunga.

Em um dos vídeos de demonstração do trabalho, Laika atua em uma área de mata, apontando que consegue encontrar o “alvo” através do vento.

“Certificada e recertificada nessa técnica. Percebam a alegria dela em fazer esse trabalho”, descreve Kalunga sobre a bombeira Laika.