Furtos de energia deram prejuízos de R$ 66 milhões em 2023

Quando alguém faz a chamada “gambiarra” para desviar até sua casa a energia elétrica de outra pessoa, os prejuízos atingem praticamente todo mundo. Em 2023, de acordo com a Energisa, foram constatados 7,1 mil crimes deste tipo em Mato Grosso do Sul. A quantidade representou aos cofres publicos um prejuízo de R$ 66 milhões.

Em consequência, além da perda de receitas vitais para serviços e obras pagos pelos cofres publicos, os desvios do gênero encarecem os custos de manutenção e criam situações de risco à saúde e à vida. Na quarta-feira passada, 27, a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul e a Energisa atuaram na Operação “Conta Justa”, em Campo Grande, com a tarefa de combater esses furtos.

Os agentes da 5ª Delegacia da Polícia Civil identificaram diversas manipulações no sistema de medição de energia em casas particulares e estabelecimentos comerciais. Ao constatar o crime contra o patrimônio, os policiais efetuaram a detenção dos responsáveis. Eles foram encontrados em situações irregulares após inspeções muito minuciosas, todas baseadas em evidências colhidas no local.

Os peritos faziam as análises técnicas e os registros de imagem. As instalações irregulares com os furtos e fraudes, além de crime, podem provocar acidentes fatais e geram impactos na qualidade do fornecimento de energia elétrica. As 7,1 mil irregularidades aferidas de janeiro a dezembro de 2023 são equivalentes a 20,218 GWh de energia , quantitativo que seria suficiente para abastecer aproximadamente 95 mil residências em Mato Grosso do Sul.

Por ser um sistema de condomínio, os prejuízos provocam elevação na tarifa de energia elétrica, ou seja, os valores perdidos são divididos pelos consumidores da concessão furtada. “Em 2023, os prejuízos causados aos cofres públicos foram de R$ 66 milhões, que não foram arrecadados e que poderiam ter sido investidos em segurança, saúde e educação para a população”, assinala Alex Almeida Leite, que é coordenador comercial da Energisa.

MONITORAMENTO

Almeida Leite informa que para combater o desvio de energia elétrica a Energisa conta com um sistema de inteligência que identifica possíveis inconsistências nos padrões de consumo. Por meio desta inteligência são realizadas as inspeções das unidades consumidoras. No ano passado foram realizadas mais de 38 mil inspeções. Para 2024, a previsão é chegar a 65 mil inspeções.

Além do furto de energia, em 2023 também foram regularizados 1.079 clientes clandestinos, pessoas que tinham em seu imóvel ligações à rede de energia de forma irregular. A Energia acredita que o número de “gatos” é ainda maior, porque muitos não são identificados. Quem souber de irregularidades desta natureza, pode informar à Energia e sua identidade é preservada.

A denúncia pode ser feita pelo site energisa.com.br ou WhatsApp Gisa: (67) 99980-0698, aplicativo Energisa On e call center 0800 722 7272. Ações da Energisa, em conjunto com a Polícia Civil, em todas regiões de Mato Grosso do Sul.