INSS: 20% dos contratos consignados têm juros acima do teto permitido pela legislação

Aproximadamente 20% dos empréstimos consignados do  (Instituto Nacional do Seguro Social) apresentam taxa de juros acima do teto que foi estabelecido pelo Governo Federal. O relatório é da  (Controladoria Geral da União), divulgado nesta semana

O balanço da CGU aponta que, de cerca de 3 milhões dos contratos avaliados, mais de 620 mil tinham taxas de juros acima do teto, uma média de 20% do total. Os contratos estudados são do período de 13 de dezembro de 2022 a 20 de junho do ano passado.

De acordo com a análise da CGU, os controles do INSS não são suficientes para fazer os juros ficar dentro do teto e que os problemas são relacionados ao ‘preenchimento das informações’, que tinham “inconsistências”. Desta forma, não sendo possível avaliar o teto estabelecido pela União, com as contratações por meio do sistema do e-Consignado.

Lembrando que o limite do consignado do INSS foi estabelecido em novembro de 2022. Naquela época, o teto era de 2,14% ao mês. Após algumas reduções, agora o teto atual é de 1,76%. A medida foi criada para impedir cobrança de algum tipo de taifa específica.

Com informações do Uol.