Venda da soja 22/23 atinge 91,4% da produção estimada

Levantamento realizado pela Datagro Grãos mostra que, até o dia 1º de dezembro, a comercialização brasileira da safra 2022/23 de soja alcançou 91,4% da produção esperada.

O número está aquém dos 93,3% observados em igual período do ano passado, bem como dos 99,3% do recorde da safra 2019/20 e da média dos últimos cinco anos, de 95,9%.

O avanço mensal foi de 3,3 pontos percentuais, superior aos 2,8 p.p. registrados no mês anterior, dos 1,9 p.p. no mesmo período do ano passado e da média normal, de 1,5 p.p., diminuindo um pouco a defasagem histórica.

“O ritmo um pouco melhor dos negócios ficou dentro de nossa expectativa, pois refletiu a valorização dos preços em novembro, e também por alguma necessidade de alavancagem de recursos para a compra dos insumos da safra de inverno”, comenta Flávio Roberto de França Junior, economista e líder de conteúdo da consultoria.

Assim, considerando a atual estimativa de produção em 157,23 milhões de toneladas, os produtores brasileiros negociaram, até a data analisada, 143,78 mi de ton de soja.

Em igual período do ano passado, esse volume de produção negociado estava relativamente maior, mas menor em termos absolutos, chegando a 121,83 mi de ton.

Safra 2023/24 de soja

As negociações da safra 2023/24 também andaram um pouco melhor no período analisado. O levantamento da Datagro Grãos aponta para 26,7% da expectativa de produção compromissada, salto mensal de 2,9 p.p., acima dos 2,1 p.p. em semelhante época do ano passado, mas aquém dos 3,1 p.p. da média plurianual.

Contudo, o fluxo está acima dos 21,2% compromissados em 2022, mas distante dos 56,3% do recorde da safra 2020/21 e dos 35,3% da média plurianual.

A atual projeção da consultoria para o referido ciclo foi revisada de 163,72 para 156,6 mi de t em virtude da irregularidade climática – 0,4% inferior à safra 2022/23. A área está estimada em 45,4 milhões de hectares, ante 44,7 mi de ha na temporada anterior.