Bêbado, assessor do Governo de MS furou sinal a 100 km por hora

Testemunha que presenciou o acidente que matou a auxiliar de cozinha Belquis Maidana, 51, e feriu João Paulo Alves, 43, na manhã de sábado (9) em Campo Grande, relatou à Polícia Civil que o veículo conduzido pelo servidor público Guilherme Pimentel, 30, avançou o semáforo vermelho em alta velocidade antes da colisão.

Em depoimento na delegacia, a testemunha revelou que o Toyota Etios, que pertence à frota do Governo de Mato Grosso do Sul, estava “com velocidade próxima de 100 quilômetros por hora” pela Rua Antônio Maria Coelho, quando desrespeitou o sinal vermelho no cruzamento com a Rua Bahia e atingiu o casal na motocicleta.

Após atingir a Honda Biz onde estava o casal, o veículo, conduzido pelo servidor público ainda colidiu com um segundo carro que estava estacionado próximo à calçada antes de finalmente parar.

Guilherme Pimentel disse à polícia, ao ser interrogado, que saiu da casa de seu companheiro e teria consumido vinho antes do acidente.  Ele afirmou ainda que estava indo para o trabalho, justificando o desrespeito ao “semáforo amarelo” ao alegar pressa.

A investigação sobre as circunstancias do acidente ainda seguem em andamento. Guilherme Pimentel foi preso em flagrante por homicídio simples, lesão corporal grave e conduzir veículo automotor sob influência de álcool.

No final desta manhã, o Governo informou, via assessoria de imprensa, que o funcionário comissionado, lotado na Segov (Secretaria Estadual de Governo), foi “imediatamente afastado de suas funções”. Conforme apurado pela reportagem, como o servidor não tem estabilidade de concurso e estava dirigindo veículo oficial, terá a exoneração publicada no Diário Oficial na segunda-feira (11).

Ao Campo Grande News, a irmã de João Paulo, Jorcieny Farias Cardoso Ribeiro, contou que o casal seguia para o trabalho de Belquis, localizado a apenas duas quadras do local do acidente, onde atuava como auxiliar de cozinha. “Meu irmão estava indo levar minha cunhada no trabalho. Ele ia deixar ela no serviço e ia para o trabalho dele [uma oficina mecânica]”, relatou.

Apesar de o acidente ter acontecido às 6h da manhã, Jorcieny só foi informada do ocorrido por volta das 14h, quando a filha da vítima a procurou para contar o que aconteceu. Abalada, a família foi para Santa Casa e aguarda notícias dos médicos a respeito da cirurgia que João Paulo foi submetido, devido aos graves ferimentos sofridos na batida.

Jorcieny conta que o casal estava junto há quase 20 anos e que não possuíam nenhum filho em comum. Entretanto, Belquis deixou uma filha de outra relação, além de três netos. “Estamos arrasados com essa perda, estamos em choque. Primeira vez que algo assim acontece na nossa família”, relatou.