CRAM inicia campanha de Enfrentamento ao Feminicídio com Blitz

Na sexta-feira (02), alusivo a campanha de Enfrentamento ao Feminicídio, a Prefeitura de Aquidauana por meio do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) promoveu uma Blitz Educativa no Calçadão da Sete.
A Blitz dá visibilidade à Lei Estadual n° 5202, de 30 de maio de 2018, que visa por meio de campanhas educativas contínuas, sensibilizar e conscientizar a sociedade sobre a violência sofrida pelas mulheres, que muitas das vezes leva à morte.
Ao longo do mês de junho, a equipe do CRAM, sobre a coordenação de Edneia Gamarra estará realizando várias ações em distritos e escolas, bem como com suas assistidas.
O objetivo dessa mobilização é também de trazer visibilidade ao tema e ampliar os conhecimentos da população sobre as formas existentes de como denunciar e auxiliar às vítimas.
A secretária de Assistência Social- Josilene Rosa esteve participando da Blitz Educativa junto com a equipe do CRAM e com a comunidade que passou pelo local.
Lembrando que Feminicídio é o assassinato de uma mulher pela condição de ser mulher. Suas motivações mais usuais são o ódio, o desprezo ou o sentimento de perda do controle e da propriedade sobre as mulheres, comuns em sociedades marcadas pela associação de papéis discriminatórios ao feminino, como é o caso brasileiro.
Importante ressaltar que, não é toda morte de mulher que se caracteriza um feminicídio. Para ser feminicídio é preciso que o crime tenha sido motivado por violência doméstica, por menosprezo ou discriminação à condição de mulher. Quando o assassinato de uma mulher é decorrente, por exemplo, de latrocínio (roubo seguido de morte), de uma briga entre desconhecidos ou por outras razões, não há a configuração de feminicídio.
O crime de homicídio simples tem pena de seis meses a 20 anos de prisão, já o crime de feminicídio a pena varia de 12 a 30 anos de prisão.