Para que recurso da Lei Paulo Gustavo chegue a todos, Fórum capacita gestores e fazedores da cultura

À espera dos R$ 52 milhões de recursos da Lei Paulo Gustavo que serão destinados a Mato Grosso do Sul, gestores e fazedores da cultura estão sendo capacitados pelo Ministério da Cultura nesta quinta-feira (25), no auditório da Governadoria, em Campo Grande.

O Fórum Técnico – Lei Paulo Gustavo é conduzido pelas técnicas do Ministério, Mayara dos Santos Marinho e Natália Leitão, e está sendo transmitido ao vivo pelo canal do Youtube da TVE.

A programação foi dividida em dois turnos, pela manhã, as técnicas traçaram todo o panorama acerca do Sistema Nacional da Cultura, e durante à tarde está sendo discutida a adesão e como alimentar a plataforma TransfereGov, ferramenta que vai concentrar planos de ações dos municípios e estados.

Representante da Diretoria de Assistência Técnica do MinC, Natália Leitão explica que o intuito do Governo Federal é de prestar este apoio técnico em todas as regiões do Brasil.

“Nunca houve um repasse tão grande, só aqui para Mato Grosso do Sul serão mais de R$ 50 milhões, e o que nós queremos é que vocês saiam tranquilos para fazer o plano de ação e para que a lei chegue onde a gente quer, nos fazedores da cultura e na população”.

Diretor-geral da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Carlos Heitor, ressalta o interesse da participação de mais de 60 municípios no fórum.

“A vinda das técnicas do MinC, atendendo a um chamado nosso, já demonstra a importância do tema, e nós temos dado total apoio e colocado toda a equipe da Fundação à disposição dos municípios para que a gente possa fazer com que este recurso chegue de fato às cidades”, pontua.

Superintendente estadual do Iphan, João Santos, aproveitou para enfatizar o recorte das comunidades indígenas e quilombolas presentes em Mato Grosso do Sul. “Acredito que este encontro vai nos trazer possibilidades de pensar projetos e ações via Lei Paulo Gustavo na valorização da cultura popular brasileira e das nossas referências sul-mato-grossenses”.

Representante do Fórum Estadual de Cultura, a produtora Caroline Garcia celebrou a conquista que é ver a reestruturação do setor com investimentos para Mato Grosso do Sul. “Somos um Estado rico, diverso e muitas vezes não temos essa identidade reconhecida pelo rosto do Brasil, e como esta lei é importante para mostrar ao País e ao mundo a riqueza cultural que nós temos”.

Para o secretário de Estado de Turismo, Esporte, Cultura e Cidadania, Marcelo Ferreira Miranda, a qualificação dos gestores municipais e dos fazedores de cultura é fundamental para a descentralização e a boa utilização dos recursos.

“Nós temos uma boa preocupação, que é a disponibilidade deste recurso, e devemos destacar a questão da mesma forma que nós comemoramos muito a desburocratização, temos que ter em mente um papel importante: o controle social da utilização destes recursos”.

Paula Maciulevicius, Comunicação Setescc
Fotos: Matheus Carvalho