Avanço rápido do Pix antecipa o fim do DOC e TED

A popularização do Pix entre os brasileiros condenou o Documento de Ordem de Crédito (DOC), que está com os dias contados. Criado em 1985, o meio de pagamento deixará de ter uso pelas instituições financeiras a partir de março de 2024. A data limite para o encerramento das operações é 29 de fevereiro de 2029.

Além do DOC, serão descontinuadas as operações de Transferência Especial de Crédito (TEC), feitas exclusivamente por empresas para pagamento de benefícios a funcionários. Segundo Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

De acordo com a entidade, as operações via DOC para pessoas físicas e jurídicas poderão ser somente até 29 de fevereiro de 2024. “O uso dessas operações vem caindo continuamente nos últimos anos. Principalmente após o lançamento do Pix, em novembro de 2020”, destacou a Febraban, em nota divulgada ontem.

Conforme levantamento da federação, com base em dados divulgados pelo Banco Central. As transações via DOC em 2022 somaram 59 milhões, para um total de 63 bilhões de operações feitas no ano.

O DOC ficou bem atrás do cheque (202,8 milhões), TED (1 bilhão), boleto (4 bilhões), cartão de débito (15,6 bilhões), cartão de crédito (18,2 bilhões) e do Pix (24 bilhões).

De acordo com a Febraban, a extinção das duas modalidades de pagamento também motivada pelo custo-benefício oferecido aos clientes. Aliás, outras modalidades de operação oferecem o mesmo serviço de maneira instantânea, a exemplo da TED, e sem custo, no caso do Pix, nas transações de menor valor.

“A Febraban e os bancos estão constantemente avaliando a modernização e atualização de todos os meios de pagamentos utilizados no país, a fim de melhorar a conveniência para os clientes”, afirmou Isaac Sidney, presidente da entidade.

Fonte: correiobraziliense