Com desemprego em alta, famílias de baixa renda devem consumir menos em MS

Pesquisa de intenção de compras da CNC (Confederação Nacional do  de Bens, Serviços e Turismo) mostrou que o  menos otimista para geração de emprego vai impactar no consumo das famílias em Mato Grosso do Sul.

Conforme o documento, a redução no índice de consumo reflete principalmente famílias de baixa renda – inferior a 10 salários mínimos -. Esse público está menos propenso a comprar itens de bens duráveis como carros e eletrodomésticos, por exemplo. O momento para comprar esse tipo de bens despencou 11,8 pontos na pesquisa.

Porém, o índice também caiu gradativamente ao longo de 2023 para quem possui renda acima de 10 salários mínimos.

No quesito perspectiva profissional, a avaliação para as famílias de baixa renda teve queda de 4 pontos, enquanto quem tem maior condição financeira prevê melhora de 2,6 pontos.

“O que percebemos é que as perspectivas profissionais estão menos otimistas entre as famílias com menor poder aquisitivo, elas percebem uma renda menor, com os efeitos da inflação e por isso estão consumindo menos”, avalia o Instituto de Pesquisa da Fecomércio MS.

Chama atenção, ainda, o índice de 14,4% dos que disseram que estão desempregados. Quanto ao acesso ao crédito, quase 20% consideram que está mais difícil obter empréstimo para compras a prazo.