Agência homologa reajuste de 5% de tarifa da Ferrovia Norte-Sul

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) homologou reajuste de 5,03% da tabela tarifária da ferrovia Norte-Sul. A decisão foi publicada pelo Ministério do Transporte no Diário Oficial da União de hoje (2).

Além da fórmula usada no cálculo da tarifa, a Decisão nº 17 apresenta uma tabela com valores a serem cobrados para cada tipo de mercadoria: adubos e fertilizantes; cimento, cal e clinquer (matéria prima básica de diversos tipos de cimento); açúcar; óleo vegetal; grãos e farelos; combustíveis; e algodão, entre outros.

A decisão inclui ainda os valores a serem cobrados por contêineres cheios e vazios, de 20 e de 40 pés; bem como a tarifa que será cobrada para direito de passagem.

Espinha dorsal

A Ferrovia Norte-Sul foi concebida com o propósito de ser a espinha dorsal do sistema ferroviário brasileiro, por meio da qual as principais malhas ferroviárias seriam interligadas, facilitando o escoamento da produção nacional e permitindo a conexão entre diversas regiões produtoras e os grandes portos do país.

Quando concluída, terá mais de 4 mil quilômetros e cortará o país de forma longitudinal, indo do Rio Grande do Sul até o Pará, passando pelas regiões Sudeste e Centro-Oeste e fazendo interligações para o Nordeste, em especial, o Maranhão.

As primeiras discussões sobre a construção dessa ferrovia foram feitas em 1985 e tinham como maior entusiasta o então presidente da República José Sarney.